quinta-feira, 8 de agosto de 2019

Justiça condena sindicato dos Professores de novo Gama de novo!

Grevistas estão descumprindo a ordem judicial de manter 50% dos professores trabalhando.


O SINPRO foi novamente citado pela justiça e pode pagar multa de até R$ 20.000,00, podendo chegar até R$ 150.000,00 em caso de descumprimento. A decisão foi motivada pelo não cumprimento do acordo anterior, que previa que 50% dos professores do município estivessem em sala de aula.
A greve que se estende por mais de 70 dias é atualmente a maior greve da história de Novo Gama e tem como motivação o retorno da Jornada Ampliada, programa este que é defendido pelos grevistas como a melhor forma de valorizar a educação.
Entretanto a realidade é outra, os grevistas pedem o retorno da Jornada Ampliada alegando favorecer os alunos, porém o objetivo principal do Sindicato é manter regalias e benefícios.
Como funciona a jornada ampliada, entenda:

Com a jornada ampliada os professores ficam em sala por menos tempo, ou seja, eles trabalham por apenas um período e ficam com o outro período livre para realizar a coordenação e planejamento de aulas. Porém, não há fiscalização do cumprimento dessa coordenação. Em função disso diversos professores realizavam uma jornada dupla dando aula em outras escolas e até no DF.
Na prática, eles recebiam pelo horário integral e trabalhavam apenas um período, criando a necessidade de novas contratações de profissionais para atender todas as crianças do município.
Em função desta prática e das necessidades de construir um município dentro da legalidade a Prefeitura extingui o programa.
E o sindicato tratou de “dar o troco” e embora o governo tenha tentado de diversas formas acordos, inclusive oferecendo a manutenção da jornada ampliada somente para os alunos, não houve acordo.
Atualmente o SINPRO – Sindicato dos professores – está atacando de todas as formas a educação de nossas crianças!

Publicidade

Publicidade

Arquivo