sexta-feira, 29 de novembro de 2019

Promotores de Justiça visitam UPAs do DF

Representantes do Ministério Público verificaram itens como o funcionamento dos equipamentos e o efetivo de médicos, que foi reforçado pelo Iges-DF

Foto: Davidyson Damasceno.
Promotores e representantes do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) realizaram, nesta sexta-feira (29), uma visita às Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) do Distrito Federal. Elas têm recebido inúmeras melhorias após passarem a ser administradas pelo Instituto de Saúde do Distrito Federal (Iges-DF).

Em poucos meses, as estruturas ganharam mais de R$ 1,5 milhão em investimentos na infraestrutura. Também receberam reforço de médicos, enfermeiros e técnicos de enfermagem. Muitos equipamentos foram consertados, substituídos. E o abastecimento de insumos e medicamentos foi devidamente regularizado.

As UPAs também receberam reforço de cadeiras de rodas, de banho, além de novas longarinas e cadeiras assistenciais para substituir aquelas que estão em mal estado de conservação. 

A UPA de Sobradinho ganhou 10 leitos com a reabertura da Sala Amarela na UPA de Sobradinho e obras estão sendo finalizadas para a abertura de mais 10 leitos. Ceilândia também 10 leitos. 

A visita do MPDFT ocorreu simultaneamente em todas as UPAs, com dois a três promotores em cada uma delas. Eles se dividiram em equipes para analisar a infraestrutura e os recursos humanos. 

Trabalho intenso
O foco foi verificar itens como funcionamento de equipamentos, estoques de medicamentos e cumprimento da carga horária dos médicos. As UPAs estavam com cinco profissionais médicos cada para atender a população.

“O trabalho intenso desenvolvido pelo Iges-DF permitiu gerar todos esses avanços que estão sendo reconhecidos pela população e, hoje, os promotores também puderam perceber todas as melhorias que permitem que a população tenha mais dignidade e seja atendida com qualidade”, ressaltou a diretora de Atenção Pré-hospitalar, Nadja Vieira, que acompanhou a inspeção.

Para o diretor-presidente do Iges-DF, Francisco Araújo, o trabalho do MPDFT é muito bem-vindo porque comprova o que está sendo feito e orienta acerca dos ajustes que, porventura, sejam necessários fazer. 

As melhorias realizadas permitiram, ainda, ao Iges-DF iniciar o processo de reabilitação das UPAs junto ao Ministério da Saúde. Com isso, cada UPA poderá receber recursos na ordem de R$ 500 mil mensais do órgão federal, que interrompeu o repasse das verbas em razão do sucateamento das estruturas e recursos humanos, principalmente, em razão da falta de médico.

Publicidade

Publicidade

Arquivo