sexta-feira, 27 de dezembro de 2019

“Dinheiro público para salvar bancos é inaceitável”, afirma líder do Podemos

O Governo Federal enviou ao Congresso Nacional um projeto de resolução de crises bancárias que restabelece a possibilidade de uso de recursos públicos para o resgate de instituições financeiras em dificuldades, mas como última linha de defesa para evitar crises

Resultado de imagem para ze nelto
O líder do Podemos, deputado federal José Nelto, afirma que essa medida não é a ideal para o momento que o País vive.

“Isso ja foi feito na época do Fernando Henrique Cardoso e nesse momento de crise, a melhor solução seria o ministro Paulo Guedes abrir o sistema financeiro, permitindo a vinda de bancos japoneses, indianos, europeus e americanos. Para isso, é necessário ter segurança jurídica, até mesmo para que empresários brasileiros possam abrir novas instituições bancárias no Brasil”, explica.

Nelto destaca que o modelo do sistema financeiro americano, onde existem aproximadamente 14 mil instituições financeiras, seria o ideal para diminuir os juros que são praticados atualmente no Brasil, bem como para fazer girar o capital financeiro.

“Com a abertura do sistema financeiro e a concorrência com novos bancos no Brasil, a exemplo do que é praticado nos Estados Unidos, os juros no País vão cair significativamente, atingindo quase níveis praticados por países de primeiro mundo. Com isso haverá dinheiro para investimentos na moradia, construção civil, bem como para a abertura de pequenas e médias empresas. Essa é a saída que queremos para o Brasil, ao invés de dar dinheiro para banqueiros”, destaca o deputado federal.

O objetivo da proposta do Governo Federal é de implementar no País o sistema de “bail in” para o resgate de bancos em dificuldades, em que deficiências patrimoniais de instituições financeiras são primeiro cobertas com o capital dos acionistas e dos maiores credores. Caso esse capital não seja o suficiente para salvar a instituição, será então, utilizado o recurso público.

José Nelto protocolará, em janeiro, requerimento convocando a presença do ministro da Economia, Paulo Guedes, para que explicações sejam prestadas ao Congresso Nacional.

“Minha ação vai ser dura contra o uso de dinheiro público para salvar banqueiros, que chegam a ter lucro de 300%. São os chefes da agiotagem no Brasil. Não é aceitável que o governo use dinheiro que poderia ser aplicado na educação, na saúde para salvar vidas, na infraestrutura, no social, para salvar bancos. Isso mostra que o ministro Paulo Guedes e a equipe econômica não estão preocupados com a nação brasileira”, completa o líder do Podemos.

Publicidade

Publicidade

Arquivo